Buscar
  • Adnan Brentan

Ousar para crescer

Atualizado: há 7 dias


"O Espírito Universal não quer atar-nos

nem nos quer encerrar, mas sim elevar-nos degrau por degrau, nos ampliando o Ser.

Se nos sentimos bem aclimatados num círculo de vida e habituados, nos ameaça o torpor; E só quem de contínuo está pronto a partir e viajar, se furtará à paralisação do costumeiro."

Hermann Hesse


O risco é componente essencial na evolução. Se você permanece, por muito tempo, num estado de acomodação, aparta de si os riscos e, inevitavelmente, mais cedo ou mais tarde, entrará em um estado de estagnação.

A ousadia é uma postura fundamental para o crescimento pessoal. Ousadia é correr riscos pelo melhor. Mas ousar, muitas vezes, requer transgressão, requer mudar de direção, abandonar velhos hábitos e crenças. Sem alguma transgressão não há verdadeira aventura e sem aventura não há melhora contínua, não há evolução.


A evolução pode se dar por erro, por acidente, quando, sem ter a intenção consciente, ocorre uma mudança de padrão. Nesta mudança de padrão está a chance de vivenciar o novo que, pode ser pior que o estado já existente, mas, também, pode ser melhor e aí se dá a evolução. É a Natureza nos obrigando a evoluir. Mas para nós, seres humanos, foi dada a graça de poder escolher, através da consciência, um aperfeiçoamento proposital. Sim, para nós, é possível evoluir de forma afirmativa.

Mas, se para evoluir é necessário mudar, a mudança em si é uma forma de transgressão. Para evoluir é preciso alterar elementos já consolidados, é necessário transgredir padrões impostos pelo meio externo (ambiente, sociedade) ou, ainda mais significativos, transgredir padrões internos (crenças, hábitos). Por isso para evoluir é necessária boa dose de ousadia, é necessário correr o risco de, em novas posturas, acertar ou errar.



A evolução não é confortável, pois abala, num primeiro momento, e depois aparta de nós a acomodação. Acomodação que, por ser inércia, é difícil de ser abandonada. A maioria de nós, inconscientemente, permanece e algum estado de inércia. Você pode argumentar: Mas eu não paro, não me acomodo... veja só: sempre estou fazendo muitas coisas! Mas, fazer muitas coisas, não significa evoluir, significa, simplesmente, fazer muitas coisas. Significa repetir padrões um após outro, reprisar velhas peças já conhecidas, representar papéis preestabelecidos. Inércia, fisicamente falando, não significa ficar parado, significa manter o mesmo padrão de movimento.



Para evoluir é necessário a aventura e para viver a aventura é obrigatório correr riscos. Há algo em nós que reconhece e nos instiga a viver a aventura. Este algo aventureiro em nós é nossa alma, é ela o agente da ousadia. É ela quem nos angustia e nos tira o sono quando evitamos os processos de crescimento. Ela não se conforma em manter-se presa a um padrão, ela tem asas e quer voar. Para voar, já sabemos, é necessário quebrar algumas "regras" estabelecidas pela natureza, é preciso ignorar que algo mais pesado que o ar será arremessado em direção ao chão pela gravidade e, mesmo assim, quem tem asas precisa voar.


"Aprisionado pelo tédio, pelo trabalho duro ou pela “cultura” o sujeito perde o poder da ação afirmativa dotada de significado e se transforma numa vítima a ser salva. Seu mundo florescente torna-se um deserto cheio de pedras e sua vida dá uma impressão de falta de sentido.” Joseph Campbell


A angústia e a depressão, quase sempre, surgem desta recusa de evoluir, de correr riscos, de alterar padrões. Quando nos recusamos a mudar para melhor, fatalmente, surgirão sofrimentos decorrentes desta alienação do elemento evolutivo em nós, nossa alma.


Você pode argumentar que não é bem assim, que, muitas vezes, não é uma questão de recusar, que você não tem escolha, pois precisa cumprir com suas obrigações, que há fatores externos que te impedem de assumir uma postura mais ousada, mais aventureira, por exemplo: Falta de tempo, falta de dinheiro, problemas de saúde, teu trabalho te impede, tua família precisa ser cuidada, a pandemia te obrigou a se fechar,... E assim você pode dar infindáveis desculpas e acreditar totalmente nelas. Há uma montanha de problemas que podem te impedir de crescer. No entanto, há pessoas que mesmo com os mesmos problemas reais que os seus, continuam teimando a se arriscar e, como consequência, continuam crescendo e evoluindo. A mesma montanha de desculpas que você usa como argumento para ficar onde está pode ser a montanha de oportunidades que você usará para se elevar até cumes de incrível satisfação e beleza. A diferença entre quem cresce e quem definha é que quem cresce aceita o chamado para os desafios que a vida oferece e quem definha só vê problemas como barreiras intransponíveis.

"O que antes o colocava para baixo se torna o que vai despertá-lo.

Bem no meio da vida cotidiana, ao se soltar das amarras da psique, você é capaz de conquistar a liberdade da sua alma." Michael A. Singer


Por ora ficam algumas perguntas:

Você está disposto a buscar a própria liberdade?

Você esta disposto a correr riscos pelo melhor?

Você está disposto a quebrar algumas regras para evoluir?

Por quanto tempo você vai ignorar o chamado para a aventura?



127 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo