top of page
Buscar
  • Foto do escritorAdnan Brentan

Você tem uma trilha preferida?

Agora tenho!

Ocasionalmente algum cliente acaba me perguntando, durante uma trilha, qual é o meu roteiro preferido. No geral eu filosoficamente respondo que é aquele que estou realizando naquele momento (já escrevi sobre o tema) e isso tem um bom tanto de verdade, pois o agora é o melhor momento possível para se viver. Mas recentemente durante um roteiro que gosto muito, percebi que ele, especialmente ele, é o que eu mais gosto (pelo menos por enquanto).


Por ser "autoral", imaginado e criado por mim, me dei o direito de nomeá-lo de Vale Amarelo e quem realiza esta atividade comigo vai entender bem o porquê do nome. Vou contar um pouco de como foi que eu "concebi" esta atividade incrível, deslumbrante, desafiadora e empolgante.


Faz poucos anos havia criado outro roteiro, que acabei nunca realizando com clientes, parecido, também um aquatrekking, só que por outro rio próximo na região. Havia um pequeno grupo de amigos que com alguma regularidade me pediam novas trilhas empolgantes e desafiadoras e ofereci a eles a realização deste Aquatrekking no Rio São João. Eles toparam e lá fomos nós para a aventura em 20/02/2020.

Iniciada a atividade, tivemos que passar pela ponte pênsil sobre o Rio Taquaral. Atravessei a ponte por primeiro, dei aquela olhada saudosa para o rio, que é de rara beleza, e, enquanto aguardava todos os quatro terminarem de ultrapassá-la, me veio o antigo desejo de percorrê-lo. Por várias vezes, subindo ou descendo o Caminho do Itupava, parava um momento sobre ele e imaginava que seria muito agradável e desafiador subi-lo em direção à Estação Marumbi, pois já conhecia um trecho seu, muito especial, próximo à estação, chamado Cemitério dos Grampos.

Pedi a atenção de meus companheiros e num impulso de improviso fiz a proposta de realizar aquela verdadeira aventura. Informei-os sobre o que já sabia e, principalmente, sobre o que eu não sabia. Sabia que era o mesmo rio, mas não tinha certeza alguma do que enfrentaríamos no percurso. Inclusive de que havia grande chance de ter que retornarmos pelo mesmo caminho caso nos deparássemos com algum obstáculo intransponível.

E qual foi a resposta para o meu inusitado convite? Não hesitaram nem por um momento, seus olhos faiscaram de entusiasmo com a verdadeira oportunidade de aventura.



Aqui um parênteses especial:

“A aventura pode ser louca, mas o aventureiro deve ser lúcido”. Gilbert Keith Chesterton


Eles confiavam em mim baseados em experiências anteriores muito bem sucedidas, embora não tão improvisadas. Eu confiava em mim e na minha própria capacidade de improviso, mas esta só era possível por ter sido adquirida com muita experimentação.


"A boa improvisação não surge do nada; vem de uma combinação de conhecimento e imaginação." Wynton Marsalis


E lá fomos nós enfrentar o desconhecido. Outro parênteses: Além de capacitado eu estava equipado. Na minha mochila havia um facão e uma corda com pouco mais de 10 metros e eles me permitiriam lidar com obstáculos mais complicados.


Foi uma das atividades mais memoráveis que já realizei com clientes.

O Taquaral é um rio de águas muito cristalinas, com fluxo e desnível suficientes para criar milhares de pequeninas quedas d'água, dezenas de quedas pequenas e algumas quedas maiores, uma delas com mais de 15 metros de altura. Além das quedas também muitos poços especialmente belos e agradáveis para banho. Quando o sol bate nas águas, devido a cor das rochas, tudo ganha um tom de um amarelo vibrante.

Muitas vezes um destes pontos mais belos já seria suficiente para enfrentarmos uma trilha difícil, já justificaria o esforço. Imagine muitos deles no mesmo percurso.



"A improvisação é extremamente valiosa porque envolve riscos." Bob Deutsch


A aventura fluía e o deslumbramento crescia a cada pequeno recanto de especial encanto e beleza. Os obstáculos se apresentavam e, com paciência, imaginação e técnica, íamos superando entusiasmadamente cada um deles. Como previsto alguns deles não permitiram a transposição diretamente pelo curso do rio e fomos obrigados a encontrar um atalho alternativo pela mata, mas sempre retornando para o espetacular Taquaral. Em dois locais precisei instalar a corda para dar alguma segurança nos pontos de rocha mais altos, inclinados e escorregadios.


Após exatas 5 horas de pura aventura alcançamos o Cemitério dos Grampos. Todos cansados, inteiros e em segurança, mas, sobretudo, muito realizados e felizes com a façanha.


"Quando você sabe muito sobre uma coisa e se força a experimentar variações daquilo sem estar envolto em uma 'rede de segurança', a possibilidade do fracasso pode empolgá-lo. Quando você improvisa, experimenta as coisas naturalmente, abre caminho para seus talentos, explorando e talvez até superando seus limites." Bob Deutsch


A partir daquele dia tornou-se um roteiro "consolidado" que realizo com alguma frequência durante o verão e em cada grupo que levo para viver esta experiência o resultado interno é sempre o mesmo: O conjunto de estímulos físicos, psicológicos e espirituais (porque não, já que a genuína contemplação é um caminho para alma) fazem aflorar um sentimento único naqueles que participam da insólita aventura. Seus corpos voltam cansados, mas seus semblantes brilham de entusiasmo e satisfação pelo deslumbramento com a beleza e singularidade do Vale Amarelo e com a certeza que superaram os desafios e, em especial, superam a si mesmos.


Por que faço este relato detalhado?

Porque percebi o quanto improvisar é importante para o aperfeiçoamento das minhas habilidades e para meu crescimento como ser humano e porque, finalmente, tenho uma trilha preferida. Também espero que você seja capaz de crescer ainda mais através do improviso naquilo que você já domina.


"Improvisar na vida é levar em consideração as coisas nas quais você é bom e imaginar como seria possível ampliar essa competência para tornar sua experiência mais gratificante." Bob Deutsch


163 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page