top of page
Buscar
  • Foto do escritorAdnan Brentan

Como transformar suas vitórias em derrotas?

Como assim? Não é o contrário? Já escrevi sobre isso no artigo: "E você precisará ser derrotado."



Desta vez quero falar sobre um hábito negativo pelo qual nos deixamos seduzir.

Você acaba de realizar uma trilha que exigiu muito de você fisicamente e quando a exigência física é muito grande, não é uma regra mas é comum, quando não estamos treinados psicologicamente para lidar com adversidades, que o desconforto físico seja tratado como sofrimento. Focar no sofrimento fatalmente irá causar um impacto negativo na sua psique. Esta reação não é algo particularmente seu, muitos de nós em situações semelhantes reagimos da mesma forma. Afinal, quem gosta de sofrer?

Agora encare a realidade, ou pelo menos uma face da realidade, você superou algo muito difícil, foi além das suas forças corriqueiras e triunfou sobre um grande desafio. Há um outro nome que se dá para este tipo de realização, podemos também chamá-lo de VITÓRIA.


Significado de Vitória: Substantivo feminino.

Ação ou efeito de vencer, de derrotar o inimigo, de sair triunfante numa briga ou numa competição. [Por Extensão] Qualquer sucesso, êxito ou vantagem alcançada; triunfo, conquista.


Pois é... ao invés de comemorar e valorizar a superação do desafio, a vitória sobre a grande dificuldade, às vezes cedemos ao sentimento de autocomiseração. Caímos na armadilha da autopiedade. Focando no sofrimento transitório, passamos ao queixume e ao invés de colecionar uma nova vitória, nos contentamos em reclamar e potencializar as dores sofridas ou resultantes. Transformamos uma vitória em derrota!

Um desafio superado pode ser, e comumente é, fonte de motivação para vitórias sobre adversidades futuras. O queixume e a autocomiseração tem o efeito contrário, tornam-se um novo tipo de medo e insegurança que nos levam a fugir de novos desafios. Mas aí existe uma outra armadilha, pois novas dificuldades sempre vão nos alcançar, não importa o quando tentemos evitá-las.

Se existem pessoas que não sofrem é porque elas não encaram o sofrimento de forma negativa, pois sabem que desafios, dificuldades, obstáculos, atribulações é que nos tornam mais fortes, mais aptos, mais capazes de realizações.


Há um ditado popular que diz:

"Mar calmo nunca fez bom marinheiro."

Ou um outro pensamento que gosto muito:

"Aquele que está bem pode fazer muita coisa supérflua e insensata. Quando termina o bem-estar e começa a aflição, começa a educação que a vida nos quer dar." Hermann Hesse


Mas entenda, não é necessário sair pela vida em busca de confusão, basta enfrentar as confusões (dificuldades) quando elas se apresentarem.


"Faço votos para que aprendas a amar as tempestades em vez de fugir delas." Khalil Gibran

Repito aqui algo que mencionei em outro artigo (https://www.gilgamesh.tur.br/post/eu-não-quero-passar-perrengue):


Por isso, para mim, um dos objetivos intrínsecos numa atividade na natureza é expor os participantes a doses de dificuldades físicas e psicológicas (colocar as pessoas em apuros) para que possam treinar sua capacidade de reação aos desafios.

Acredito, como ser humano que busca a anti-fragilidade e o crescimento, que só reduziremos a fragilidade geral de nossas sociedades ao tornarmos os indivíduos menos frágeis, mais aptos e corajosos. Carrego uma convicção empírica de que ao tentar deixar as atividades totalmente seguras, estaremos tornando as pessoas inseguras.


Como escapar da armadilha da autocomiseração?

Comece por não prestar tanta atenção aos derrotados e queixosos. Seres humanos são criaturas altamente influenciáveis e, se houver alguém do nosso lado reclamando, muitas vezes cedemos ao estímulo negativo e, dando voz ao nosso sofredor interior, só fazemos encorpar o coro dos queixosos. Por outro lado, crescemos nos encantando ao ouvir histórias sobre pessoas que realizaram o impossível, superaram grandes desafios. Pessoas que não se conformaram com o preestabelecido e tentaram alcançar o impossível até ele se tornar possível. Algo em nós vibra ao saber destes feitos. Algo em nós se eleva ao conhecer estas façanhas. É como se nós mesmos, em algum nível, participássemos destas conquistas. Sentimo-nos inspirados e, ainda que fugazmente, empoderados (terminho da moda).

Portanto uma parte nossa, talvez a mais elevada, também é capaz de se inspirar e assim se conectar com os vitoriosos. Preste mais atenção naqueles que venceram. E, não se iluda, os maiores vitoriosos são aqueles que vencem a si mesmos, seus medos, inseguranças, preguiças.


Como aceitar a importância das dificuldades e não fugir delas?


"O que eles não sabem é que toda esta experiência que ganhei neste tempo me tornou quem eu sou. Me preparou para este momento. Me deu algo que os outros não tinham.

A vida não é sobre o que você pode alcançar, ela é sobre o que você pode se tornar. É uma viagem, não é um evento.

Apenas prometa que não vai fugir quando as coisas ficarem difíceis e elas vão ficar."

Diálogos retirados do filme American Underdog (2021)



104 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page