Buscar
  • Adnan Brentan

As pequenas e valiosas vitórias do cotidiano

Atualizado: 12 de Mar de 2021

Depois de muito penar recentemente percebi (não que não tenham tentado me ensinar antes) que um dos mecanismos indispensáveis para nos manter vitoriosos é alimentar-se constantemente de pequenas vitórias, gerando a confiança e experiência necessárias para conquistar as grandes.


A ausência de vitórias, ainda que pequenas, acaba por conduzir o indivíduo aos caminhos tortuosos da insatisfação e angústia que por sua vez levam-no até alguma forma de depressão, tão comum em nossos dias. Mas acumular vitórias satisfatórias nem sempre é tão simples, pois, no geral, pela nossa vocação humana de evolução constante, vitórias sobre algo comum e corriqueiro já não trazem a mesma satisfação por, aparentemente, não nos levarem a uma evolução real. Nós sempre queremos realizar mais ou, pelo menos, queremos realizar melhor. Por isso, muitas vezes, negligenciamos as pequenas e necessárias vitórias do cotidiano.

Sem desafios não existem vitórias e neles os nossos opositores são fundamentais, já que representam, subjetiva ou objetivamente, os obstáculos a superar. Tornam-se nossos maiores professores e impulsionadores para o crescimento. Há momentos em que os desafios surgem de dentro de nós e em outros eles vem de fora. Mas os de dentro são em maior número e muito melhor preparados. Desafiando-nos, a todo momento e das mais diversas formas o nosso corpo, nossos instintos, nossas emoções e nossos pensamentos que fazem o possível para agigantar os obstáculos. Alteram nossa percepção da realidade fazendo parecer impossíveis tarefas simples que poderiam ser vencidas com um pouco de determinação e perseverança. Assim, muitas vezes, abraçamos a derrota mesmo antes de tentar a vitória.

Sendo assim, uma estratégia simples é a de escolher algum pequeno “inimigo”, algum pequeno obstáculo e superá-lo, vencê-lo. E ao vencê-lo, comemorar. Comemorar é estar consciente de que, mesmo que por alguns instantes, foi você quem comandou, foi você quem fez as escolhas, foi você quem venceu. Não por medo, não por insegurança, não por ignorância! Você escolheu o melhor pensamento, o melhor sentimento e a melhor ação e assim saiu vitorioso.

Vença a preguiça, a inércia ou a insegurança e comece com aquela atividade que você deseja faz tempo. No começo terá dificuldade e poderá até parecer que aquilo não foi feito para você, mas imagine se quando bebês houvéssemos desistido de tentar andar ou falar, o que seríamos? Ou melhor, o que não seríamos? Quando estamos começando não existe "mal feito", existe o - desta vez fui melhor do que na anterior - e é isso que importa. Tentativa após tentativa, dia após dia, e, se houver persistência, em algum momento a atividade não será mais um mistério, não será mais um limitador, ela será mais um degrau vencido para alcançar o seu objetivo ou sonho.

Conta até organizar sua mesa de trabalho, realizar alguma tarefa menor que está parada faz tempo e esperando um pouco da sua disposição, ter aquela conversa com alguém que você precisa alinhar ideias ou sentimentos. É preciso agir mesmo sobre o efeito do medo. Cada pequeno problema que solucionamos, cada pequena tarefa que realizamos, cada pequeno compromisso que cumprimos são pequenas vitórias que contam.


Ainda não consegue subir aquela montanha difícil? Comece por uma menor e mais fácil!

Um alerta especial: Cuidado com a ilusão de que uma vitória, sempre virá com a roupagem da vitória. Muitas vezes as derrotas podem ser transmutadas em vitórias pelo aprendizado que proporcionam ao desafiado. Mas, de novo, isso exige consciência e disposição para aprender.

O segredo dessas pequenas vitórias é realizá-las com consciência, e todos os dias podemos fazê-lo! Se naquele momento você pôde vencer, também poderá no momento seguinte.

Aventure-se!

Seja um conquistador de si mesmo e conquiste o mundo!

Adnan Brentan

369 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo